Feminismo

Toda regra tem uma exceção, aprenda a desobedecer o erro

Por Paula Kossatz.

Estou chegando à conclusão de que os legalistas são que nem fanáticos religiosos: andam por aí com a bíblia da constituição debaixo do braço, defendendo cada linha como se fosse uma “lei divina” (logo, inquestionável), só que escrita por homens brancos (lembrando que ambas foram).

Lembrando mais uma vez que a escravidão já foi legal neste país e se os negros e brancos, simpatizantes da abolição, adotassem a linha legalista, nada teria mudado.
Somos uma democracia recente. Antes da Lei Maria da Penha, nós mulheres, estávamos reféns dos machos. A constituição não previa a nossa defesa, nos fazendo entender o machismo presente na sua elaboração… as leis atuais não são perfeitas e, em alguns casos, dão margem para se generalizar o que não se pode generalizar: o ser humano e seus universos individuais.

Não se pode dizer que todo homem é psicopata como o Bruno ou que toda mulher é psicopata como a Suzane… há milhares de presxs que ainda aguardam uma simples sentença em prisão preventiva. São pobres, em sua maioria homens. Dá pra comparar toda classe carcerária com o Bruno? Não. Dá pra comparar toda classe carcerária entre si? Dá, no quesito de que são homens pobres em sua gigantesca maioria… E os crimes? Tem gente ali que está presa pq roubou uma galinha ou andou com PInho Sol na rua como no absurdo caso do Rafael Braga. São abusos como estes que precisam ser revistos em nossas leis que foram feitas exatamente para encarcerar o homem preto pobre e favelado.

O goleiro, repito, não se isenta da sua índole hiper-perversa por ser negro… há muito, já não era pobre, nem favelado. Sua prisão não se deu na condição de preconceito por racismo ou classismo. Bruno era riquíssimo qdo mandou matar a mãe do seu filho. TInha fama, meios e total condição de sustentar uma criança. Foi preso por ter cometido um crime hediondo e é incacreditável ver pessoas defendendo os seus direitos comparando com Rafael Braga, presos políticos da década de 80 e ladeira abaixo… #alouuuuuuuuuu

Não se pode nivelar todos os casos pela lei como se fosse regra geral. Não somos máquinas que se comportam identicamente. Cada caso é um caso, mas as pessoas preferem não pensar porque é mais fácil seguir o que já está dado, escrito, afinal, “é a lei”.

Ah, tá… queria ver vocês falarem isso na cara do Zumbi em 1.690…
#apaporra #mulheradanãosecala

Paula Kossatz é fotógrafa, atua de forma independente colaborando com diversos coletivos de mídia e participou ativamente da fundação do movimento midiativista carioca.

Comentários do Facebook

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top