América Latina

Intervenção militar para defender mineração põe em risco o povo indígena Shuar do Equador

Há uma semana o governo do Equador por ordem do presidente Rafael Correa autorizou um operativo militar em Morona Santiago para defender os interesses da empresa de mineração chinesa Explorcobres, SA, EXSA.

Comunidades indígenas da região denunciam o verdadeiro estado de exceção que estão vivendo com a presença dos militares. Que tem invadidos casas e comunidades, e efetuado detenções com as pessoas dormindo.

Segundo as organizações indígenas CONAIE, CONFENIAE, “nada justifica colocar mulheres, crianças e homens indígenas nesta situação de vulnerabilidade, além de militarizar uma terra indígena”.

Povos indígenas da Amazônia equatoriana resistem contra a invasão e espoliação de terras ancestrais por parte da mineradora chinesa, que capitanea um projeto com o governo federal do Equador para avançar com a extração de recursos naturais em zonas indígenas. A população tradicional tem se articulado e denunciado a presença criminosa da companhia e avançado na resistência.

O governo por sua vez, cumprindo seu papel de mantenedor dos privilégios privados, aumenta ainda mais a tensão com o envio de centenas de militares, tanques e helicópteros para a zona da Nankints, onde habitam diversos povos originários. Militares tem invadido casa, disparado com armas de fogo de calibre pesado, hostilizado mulheres e crianças e ameaçado lideranças comunitárias.

As comunidades indígenas e meios independentes de comunicação do Equador enviaram um chamado internacional de solidariedade e vigília aos povos da região, que estão feitos reféns pela presença militar ostensiva com o único fim de proteger os interesses do capital transnacional e garantir o saque e a exploração de recursos naturais.

Em Quito, capital do país, diversos movimentos sociais fazem um plantão na porta dos prédios de governo exigindo a retirada imediata do operativo militar da região e denunciando o estado de exceção declarado contra povos indígenas originários.

Saiba mais em http://wambraradio.com/

Comentários do Facebook

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top