Luta Contra o Racismo

Complexo do Alemão lembra morte de Eduardo de Jesus um ano depois

Dia 02 de abril de 2015 Eduardo de 10 anos foi morto por um policial militar enquanto brincava na porta de sua casa com um celular na localidade conhecida como Areal

Exatamente um ano depois integrantes do Coletivo Papo Reto e a mãe de Eduardo, Terezinha Maria de Jesus de 40 anos, inauguraram uma placa em homenagem a ele. A localidade passa agora a se chamar ‘Beco Eduardo de Jesus Ferreira’ e contou com cerca de 100 pessoas, entre mães de vítimas da polícia militar e ativistas de direitos humanos.  A marcha saiu da Escola Estadual Tim Lopes as 11 horas, subiu pela Grota até chegar ao Areal onde Eduardo foi atingido, gritando palavras de ordem contra o extermínio da juventude negra e contra a UPP.

Ana Paula, mãe de Johnatha Oliveira morto em Manguinhos pela UPP em maio de 2014, puxou o refrão do funk do Mano Teko que já se tornou um hino da luta nas favelas – “Hoje o quilombo vem dizer, favela vem dizer, a rua vem dizer que é nós por nós”.

Houve forte comoção por parte dos presentes ao escutar Terezinha contar sobre o sonho que teve um dia antes com o filho. A mãe de Eduardo disse que no sonho dava ovos de páscoa para o seu filho e que ele lhe pedia que não chorasse mais. Em sua fala, Terezinha também disse que está confiante na luta por justiça e exige que o Ministério Público peça a prisão preventiva do policial que matou seu filho, uma vez que o oficial segue em serviço militar, e segundo ela, poderia cometer outros assassinatos.

O fotógrafo Carlos Coutinho do Coletivo Papo, foi uma das primeiras pessoas a chegar no beco depois da morte de Eduardo e lembrou dos momentos de tensão que viveu. “Os polícias não queriam me deixar fotografar a cena do crime e como a gente sabe, eles alteram a cena, então alguns moradores me reconheceram como membro de um coletivo local e me ofereceram a laje para poder me aproximar, e quando os policiais me viram me mandaram sair. Eu disse imediatamente que não e que estava transmitindo ao vivo e eles se colocaram na frente do corpo para tentar tapar a cena”.

> Veja o vídeo com entrevistas que gravamos durante o ato.

 

 

Comentários do Facebook

Comentários

2 Comments

2 Comments

  1. Fransérgio

    2 abril, 2016 at 19:00

    NÓS por NÓS Sempre.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top