Terrorismo de Estado

Ainda sobre o ET de Varginha(Alexandre Moraes) e sua jogada de marketing fracassada de erradicar a cannabis da América Latina.

Por Claudia C. do Mariachi.

Essa nem Trump ousou arriscar! A declaração do ministro de Segurança de Temer, Alexandre Moraes (PSDB), na semana passada, de querer erradicar o cultivo e o uso da cannabis em toda a América latina provocou comentários sarcásticos em todo o país nos últimos dias.

Por que será que lembrei da fobia do Harry Anslinger e seu desespero em manter o DEA (Agência de Combate às Drogas) funcionando depois do colapso da proibição do álcool nos EUA? E da maquiavelice de Nixon e do casal Reagan contra todos os estudos médicos sobre a cannabis que foram abafados, queimados, invalidados ao longo de décadas? A famigerada guerra étnica “contra as drogas” imposta pelos EUA nos ensinou o quê?

A roda da maldade funciona!!! Prisões privatizadas abarrotadas com os mais desprovidos de recursos; população enganada achando que a medida é para sua segurança e o governo se saindo como herói porque gera novos empregos com um custo mínimo – a marginalização e criminalização dos mais fracos. Assim, cria-se um ciclo auto-sustentável. Bingo! Quem se importa com a base da pirâmide? E o que isso tem a ver com o Brasil?

Os EUA forçaram praticamente todos os países com quem mantinham relações comerciais a seguir o mesmo modelo de super-criminalização das drogas. E o nosso atual ministro cheio de diplomas não estudou essa parte da história.

Também não aprendeu com o exemplo do ex-secretário de Segurança do Estado Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, quem por 8 anos insistiu que suas UPPS acabariam com o tráfico. Mas a consciência de Beltrame tardiamente pesou e ele renunciou. Ou teria acordado de um longo estado letárgico? Ou será que seguiu o exemplo de Cabral, achando que se saísse da fogueira à tempo seria esquecido? Seja lá qual for o motivo, Alexandre Moraes deveria reavaliar suas estratégias de popularidade. Ops, de segurança.

Foto de capa: Marcos Moraes.

Comentários do Facebook

Comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top